Chuva trará alívio à agricultura...

Sistema Faep
27/07/2018 15h31

 

As chuvas deverão retornar aos Estados de São Paulo e Paraná no início da próxima semana, pondo fim a semanas de estiagem e podendo até a atrapalhar a colheita de cana, café e milho, mas sem riscos de prejuízos às plantações, segundo dados climáticos e um especialista. O Thomson Reuters Agriculture Weather Dashboard aponta precipitações entre 7 e 10 milímetros na porção norte do Paraná até 1º de agosto, volume considerado mais próximo da média para o período. Embora ainda reduzidas, as chuvas tendem a dar um alívio principalmente às lavouras de trigo, que precisam de umidade para o desenvolvimento. O Paraná é o maior produtor do cereal, e o governo do Estado cortou recentemente sua estimativa de colheita justamente em virtude da seca e das alta temperaturas neste momento. “O começo da próxima semana deverá ser marcado pelo retorno das chuvas sobre o norte do Paraná e em São Paulo, regiões que há mais de 90 dias não registram chuvas. Os volumes não deverão ser altos, mas já serão suficientes para quebrar essa condição de tempo extremamente seco e com quebras em lavouras de inverno”, afirmou o agrometeorologista Marco Antonio dos Santos, da Rural Clima, em boletim. Com efeito, nos últimos três meses as precipitações ficaram até 280 milímetros aquém do normal em partes do Paraná, o que contribuiu para o avanço da colheita do chamado milho “safrinha” –o Estado é o segundo maior produtor depois de Mato Grosso. Já em território paulista, aponta o Agriculture Weather Dashboard, as chuvas deverão se concentrar na faixa litorânea até 1º de agosto, mas também estão previstos 14 milímetros em partes do Estado, o maior produtor de cana e o segundo de café. “Essas chuvas deverão atrapalhar o pleno andamento da colheita do café, cana e do milho, mas nada que venha a ocasionar perdas ou qualquer tipo de prejuízo, apenas deverão ocorrer paralisações momentâneas, uma vez que esse tempo fechado e chuvoso será de curta duração”, disse Santos. Considerando-se as duas próximas semanas, a previsão é de chuvas em torno da média histórica em ambos os Estados.


MAIS NOTÍCIAS